Dependência e Abuso de Substâncias

O uso de substâncias como álcool, tabaco e drogas ilícitas é responsável por 12% da mortalidade no mundo e é líder nas causas de morte passíveis de prevenção.

Segundo os dados do II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (LENAD), realizado em 2012, estima-se que 10% da população brasileira masculina é dependente de álcool, enquanto que 3,5% da população feminina é atingida pelo transtorno. O consumo de substâncias ilícitas é igualmente alarmante. O Brasil é o segundo mercado mundial em relação ao consumo de derivados de cocaína, perdendo apenas para os Estados Unidos.

É sabido que a população abusadora de substâncias está mais exposta a fatores de risco e tem maiores chances de desenvolver doenças físicas e mentais. Segundo o LENAD, a prevalência de indicadores de depressão é significativamente maior entre abusadores de álcool que na população geral.

A existência de problemas relacionados ao uso de substâncias não é evidência de dependência. Para se caracterizar uma dependência é necessário exibir um conjunto de sintomas, os quais se apresentam com gravidades variadas.

Embora os manuais diagnósticos como DSM e CID façam um esforço no sentido de demarcar uma linha de corte para se diagnosticar o transtorno, na prática clínica essa linha divisória nem sempre é tão clara e o diagnóstico varia em um continuum de gravidade. É óbvio que existem pessoas claramente dependentes, mas a grande maioria encontra-se em um estágio entre o uso social e recreativo de uma substância e a dependência, não sendo fácil a caracterização do diagnóstico.

Embora a maioria encontre-se nesta faixa, isso não quer dizer que não precisem de tratamento!

Equivocadamente, acredita-se que somente dependentes necessitam tratamento. Parte em razão disso, encontra-se tanta demora na procura por ajuda. Segundo dados do LENAD Família, ocorre uma demora de em média 2,5 anos para procurar tratamento para drogas ilícitas como cocaína e crack, enquanto que 7 anos para álcool.

Em relação ao tratamento do uso problemático de substâncias, a regra deve ser “quanto antes melhor”. A medida que o tempo passa, o problema assume gravidade e a partir daí somente serão efetivas intervenções complexas e de alto custo social e financeiro para a pessoa e seus familiares, como internações e outras ações.

A equipe Rota Alternativa aguarda seu contato e se dispõe a esclarecer suas dúvidas. Entre em contato e venha nos conhecer!

2 comentários sobre “Dependência e Abuso de Substâncias

  1. Boa noite. Meu marido é alcoólatra .ja fez tratamento cersan .teve alta más voltou pior no vício. .Ele quer se enterrar..vcs podem me dizer a política de tratamento daí? Por favor. .e as condições de pagamentos tbm

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s