A diferença entre “abstinência” e “síndrome de abstinência”

A utilização do termo “abstinência” e suas variações é muito comum quando se fala sobre o consumo de drogas. Esse mesmo termo pode ser empregado em diversos contextos e implicar em diferentes significados. Devido a isso pode haver confusões sobre aquilo que realmente se objetivou dizer.

Processo de abstinência

Dentre as definições encontradas para a palavra abstinência destacamos aquela que a caracteriza como uma privação voluntária de algo. Assim sendo, estar abstinente é estar privado, ter interrompido o uso da substância. Quando dizemos da abstinência de drogas não necessariamente estamos falando de uma privação voluntária. Portanto, tanto um sujeito que está internado involuntariamente para tratamento como também aquele que voluntariamente decidiu parar de usar estão abstinentes, uma vez que cessaram o uso da substância.

abstinência-Rota Alternativa

O processo de abstinência é caracterizado então como o trajeto que um usuário de drogas deve percorrer caso o objetivo seja a interrupção do uso de uma ou mais dessas substâncias. Manter-se abstinente é o mesmo que manter-se “limpo”, esse é normalmente um processo de muitos desafios e muito crescimento que requer cuidado e vigilância em relação a recaídas.

Síndrome de abstinência

abstinencia

Já síndrome de abstinência é o nome que se dá a um conjunto de reações físicas, fisiológicas, comportamentais e emocionais que geram imenso desconforto e que são causadas devido à suspensão do consumo de alguma substância ou diminuição significativa da mesma. As características da síndrome de abstinência variam de acordo com a categoria da droga que o sujeito consome, assim sendo, as reações típicas de uma síndrome de abstinência no tabagismo são bem diferentes daquelas que ocorrem na dependência por uso de álcool, por exemplo. É comum que os usuários voltem a consumir a substância para aliviar ou evitar a ocorrência desses sintomas tão desconfortáveis.

A gravidade dos sintomas de abstinência variam também de acordo com fatores como a quantidade, frequência e a longevidade deste padrão de consumo da substância. Em geral, os sintomas iniciam entre 6 e 8 horas após interrupção, com pico entre 24 e 48 horas, podendo durar de 5 a 7 dias, enquanto que alguns sintomas podem perdurar por mais semanas.

 

Síndrome de Abstinência no Tabagismo

Síndrome de Abstinência no Alcoolismo

Desejo intenso por fumar ou “fissura”

Tosse

Formigamento ou dormência nas pernas e braços

Distúrbios no estômago e intestino

Pressão arterial diminuída

Dores de cabeça

Tonturas

Perturbações do humor (ansiedade e irritabilidade)

Dificuldade de concentração

Insônia e sonolência diurna

Aumento do apetite

Desejo intenso por beber ou “fissura”

Tremores

Sudorese

Náusea e/ou vômitos

Taquicardia e aumento da pressão arterial

Dores de cabeça

Perturbações do humor (ansiedade, irritabilidade, humor deprimido)

Inquietação

Insônia

Convulsão

Delirium Tremens*

Em resumo…

“Ele está em abstinência” pode ser utilizado tanto para falar que a pessoa está sem usar determinada substância, assim como dizer que está sofrendo sintomas compatíveis com uma síndrome de abstinência. O significado dependerá bastante do contexto onde estamos empregando cada termo.

Poste suas dúvidas e comentários abaixo.

Quer conhecer mais do nosso serviço? Clique aqui.

 

Um comentário sobre “A diferença entre “abstinência” e “síndrome de abstinência”

  1. Pingback: E aí? Topa o desafio de ficar 30 dias sem beber? | Rota Alternativa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s