Você sabe o que é um gatilho?

No universo do tratamento do abuso de substâncias, “gatilho” é o termo que utilizamos para nos referir a qualquer coisa que esteve associada ao uso de substâncias de uma pessoa e que pode disparar desde uma inofensiva lembrança da droga – lícita ou ilícita – até uma fissura para seu uso. Didaticamente, podemos dividir os gatilhos em externos e internos.

Os gatilhos externos são aqueles que ocorrem fora do nosso corpo, ou seja, em nosso ambiente físico. Normalmente, podemos vê-los, tocá-los, jogá-los fora, desviá-los, e em razão disso é comum serem os gatilhos mais fáceis de perceber e modificar a maneira de lidar com eles. Como gatilhos externos podemos elencar determinadas pessoas, grupos e turmas que mantiveram uma associação muito forte com nosso consumo de álcool ou drogas, como aqueles colegas que sempre o convidavam para o “happy hour” após o trabalho ou a faculdade, assim como determinados lugares como barzinhos, boates, praias, determinadas ruas e regiões da cidade, ou uma infinidade de situações como horários do dia, certos dias da semana, determinadas imagens, músicas, cheiros, clima, antes ou depois de alguma tarefa, atividade ou lazer, disponibilidade de transporte, de dinheiro ou mesmo de tempo para “comprar, preparar, usar e recuperar dos efeitos”, assim como certas ocasiões festivas, entre muitas outras situações nas quais costumava usar.

Se você foi ou é um fumante, saberá que isso pode ser um gatilho...

Se você foi ou é um fumante, saberá que isso pode ser um gatilho…

Por sua vez, os gatilhos internos são aqueles que ocorrem do lado de “dentro de nós”. Ou seja, referem-se aos sentimentos e pensamentos experimentados que nos tornam mais propensos a procurar e consumir a substância, como raiva, frustração, vergonha, culpa, entusiasmo, sensação de merecimento, cansaço, solidão, tédio, entre outros.

Solidão pode ser um gatilho?

Solidão também pode ser um gatilho

Os gatilhos variam…. As estratégias de enfrentamento também…

Cada pessoa tem um padrão de gatilhos próprios à sua história de uso da droga, existindo gatilhos comuns e outros bastante particulares. Alguns gatilhos são de percepção mais clara, enquanto outros são bastante sutis. Saber identificar os gatilhos que disparam o processo de fissura é de fundamental importância para anteciparmos e criarmos estratégias específicas para lidar com tais situações, bem como para prevenir recaídas.

Estratégias de evitação ou diminuição do contato são amplamente utilizadas para os gatilhos externos, embora não seja possível realizá-las em relação aos gatilhos internos. Estes exigem um aprimoramento na identificação dos sentimentos e pensamentos, assim como desenvolver estratégias particulares para lidar com eles.

Como descubro meus gatilhos?

Existem diversas formas de aumentarmos a consciência sobre os gatilhos externos e internos. As estratégias variam desde exercícios de automonitoramento, listas e escalas de situações gatilhos, análise de situações eliciadoras de fissura, análise de lapsos e recaídas anteriores, discussão de casos e vídeos, entre outros recursos.

Em posts futuros, comentaremos mais sobre a variedade de gatilhos e algumas dessas estratégias utilizadas para ampliar a consciência sobre eles.

Surgiram dúvidas? Deixe-as nos comentários!

6 comentários sobre “Você sabe o que é um gatilho?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s